Cooperativas de micro-ônibus prometem greve para esta terça-feira em São Paulo

Notícias
Tipografia
Empreendimentos afirmam que, em quatro anos, repasse da prefeitura subiu 9,4%, ante reajustes de 30% na passagem

 As cooperativas de transporte coletivo da cidade de São Paulo prometem greve a partir da 00h desta terça-feira (15), por tempo indeterminado. A decisão foi votada em assembleia na sexta-feira (11) que reuniu trabalhadores ligados ao Sindilotação – entidade que representa transportadores autônomos, da Federação das Cooperativas de Transporte do Estado de São Paulo e lideranças das operadoras.

O motivo da paralisação é um impasse em torno da correção de valores repassados aos operadores pelo transporte dos passageiros. As cooperativas reivindicam 12%, enquanto a prefeitura de São Paulo aceita dar um reajuste de 4,5%.

Segundo o presidente do Sindilotação, Senival Moura, caso a gestão municipal apresente disposição de dialogar com a categoria, a greve será suspensa. "Estamos operando no vermelho. Desde 2007, tivemos uma aumento de 9,4%, enquanto a passagem para o usuário teve reajuste de 30,43%", afirma Moura.

Cooperativas que decretaram estado de greve

  • Transcooper
  • Fênix
  • Associação Paulistana
  • Cooper People
  • Nova Aliança
  • Cooper Líder
  • Cooper Pam
  • Cooper Alfa
  • Unicooper

As cooperativas operam principalmente micro-ônibus em todas as regiões da capital paulista. São cerca de 6 mil veículos que transportam 3,5 milhões de passageiros por dia. As nove cooperativas são responsáveis por atender 43% do sistema de transporte rodoviário da cidade.

O valor médio repassado às operadoras é de R$ 1,28 por passageiro. Com o aumento reivindicado, passaria a R$ 1,44. As empresas privadas que têm concessão do serviço em São Paulo recebem esse repasse de acordo com o gasto real de cada passageiro que embarca nos veículos.